Marco Florentino
Em prosa e verso
Textos
O RENASCER DO CISNE
O RENASCER DO CISNE

A leveza e a graça da beleza
Toda sua pureza e esplendor
Fixada no íntimo da natureza
Também tá na morte e na dor

A morte é uma etapa da vida
Metáfora do fim da existência
Não é uma singela despedida
Nem sequer uma vã ausência

É vital morrer a cada instante
E poder renascer exuberante
O cisne branco jaz prostrado

Renasceu cor rosa, ilimitado
Um cisne moribundo flutuava
Hoje vive feliz como sonhava

Marco Antônio Abreu Florentino

Soneto tributo a dois personagens inanimados: Rodolfo Nu Reyev Botafogo e Wally Gator Twiddles, dois bonecos infláveis (Um cisne rosa e um crocodilo verde) que vigiam e cuidam da piscina , afugentando pombos e outros pássaros predadores que sujam o local com seus dejetos, incluindo sabiás e pardais predadores.

A morte do cisne, um balé famoso, mostra que uma das coisas que a arte pode nos ensinar é que tudo tem sua beleza, inclusive a morte. Não de forma superficial, ou como frase de efeito, mas como entendimento de que a morte é uma etapa da vida, É o fim de um ciclo para que um outro comece e por isso é belo e natural. A morte do Cisne (The Dying Swan), ballet de 1905, coreografado por Mikhail Fokine, composição de Camille Saint-Saens, é uma linda metáfora para o fim da nossa existência, para o fim de todos os ciclos que passamos durante a vida. O solo de ballet protagonizado pela grande bailarina Anna Pavlova nos ensina que, a cada instante, devemos morrer, e deixar morrer aquilo que já não tem mais sentido dentro de nós, guardando a devida beleza de termos feito parte do grande espetáculo da vida.

Fala-se, à boca pequena, que a grande maioria dos homens guardam, em seu íntimo, a fantasia de se transformarem em cisnes cor de rosa.

Segundo Mão Dinah, famosa cartomante de rua, é uma questão astrológica, de acordo com a data de nascimento e a  disposição dos astros neste dia.

Parece que isso ocorreu coletivamente com os pardais, particularmente com o mais idoso. Ficou comprovado que o pardal nascido no Rio de Janeiro não foi afetado por esse imperativo.

Alguns que vivem em Belém do Pará e moram na vizinha cidade de  Ananindeua e também alguns engenheiros que moraram no Bairro Batista Campos e depois Doca de Souza Franco, foram gravemente afetados.

Rapazes com nomes bíblicos, principalmente de profetas e anjos, também carregam a fantasia de se transformarem em cisnes cor de rosa.

Mas o que mais intriga é a intensa necessidade de dois homens radicados em dois estados nordestinos vizinhos: RN e PB. Talvez por serem formados em filosofia. confessaram um desejo irresistível  de se transformarem nesses pássaros tão vistosos e delicados.

Pode ser uma epidemia, pois indivíduos de São Paulo já deixaram claro que se identificam com os cisnes cor de rosa.  

Sigamos em frente.

https://youtu.be/egPuJALNIBs
(A Morte do Cisne)
Marco Florentino
Enviado por Marco Florentino em 05/05/2022
Alterado em 05/05/2022
Comentários