Marco Florentino
Em prosa e verso
Textos
FRAGILIDADE HUMANA
FRAGILIDADE HUMANA

O vento frio trás a tempestade
Destrói e devasta a terra firme
Expõe do humano a debilidade
Causa duro castigo sem crime

Um tempo triste, de fragilidade
Que aflora n´alma três aflições
O medo, angústia e ansiedade
Emoções que tocam corações

O homem com seu vasto poder
Se ajoelhou ao inimigo sem ver
Mas não se entregou ao flagelo

Tem conhecimento e seu saber
Depois da tormenta o alvorecer
No qual tudo nascerá mais belo

Marco Antônio Abreu Florentino

Soneto que enaltece a capacidade de superação do ser humano às adversidades e desequilíbrios da natureza, mormente causados por ele mesmo, conforme já é sabido no decorrer da aventura do homem na Terra, o que demonstra que o movimento dialético hegeliano se aplica de forma plena e universal na natureza.
.
Em assim sendo, transcende aos princípios filosóficos originais do pensamento de Hegel no qual a dialética é a lei que determina e estabelece a auto manifestação da ideia absoluta, sendo responsável pelo movimento em que uma ideia sai de si própria (tese) para ser uma outra coisa (antítese) e depois regressa à sua identidade, se tornando mais concreta (síntese).

https://youtu.be/zuFo8uU8Z3U
(Nem um Dia - Djavan)
Marco Florentino
Enviado por Marco Florentino em 28/05/2020
Alterado em 29/05/2020
Comentários